RETORNAR A PÁGINA INICIAL

terça-feira, 9 de abril de 2019

Guerreiros - UM CIGANO ENSINOU

OS ENCARNADOS NA TERRA SÃO GUERREIROS!


No dia 8 de abril celebra-se o Dia Internacional do Cigano, momento em que é comemorado a cultura, história e reconhecimento desse povo. Essa data chama nossa atenção para refletirmos sobre o preconceito, negligência social, perseguição política, religiosa e racial que esse povo enfrenta a séculos.
Outro fato importante a ser lembrado é que durante a Segunda Guerra Mundial esse povo foi perseguido e massacrado, de acordo com alguns pesquisadores foi o povo que mais sofreu baixas, sendo que na Europa, dos cerca de 1 milhão de ciganos, aproximadamente 500 mil foram assassinados. Dessas inúmeras vítimas várias foram enfileiradas e fuziladas, para em seguida terem seus dentes de ouro arrancados, joias roubadas e os corpos jogados ou queimados, roubando-lhes também o direito de manter a tradição e rituais de passagem tão importantes para esse povo.
Mas se essa é uma página de espiritualidade, o que tem haver essas questões históricas?
A mensagem de hoje é de um cigano que viveu nesse contexto, conheceu, sentiu, sofreu e desencarnou em meio as lutas impostas a esse povo durante a segunda guerra..Então Um salve a nossos Ciganos e Ciganas!!
MENSAGEM DO IRMÃO ESPIRITUAL CIGANO DUARTE.

Nós, os ciganos somos um povo feliz, na espiritualidade trazemos o desejo de trabalhar pelo bem, trazemos o conhecimento que nos possibilita a ajudar nas questões financeiras, trazendo prosperidade. Sabemos como trabalhar e manipular as energias para que os caminhos DAQUELES QUE MERECEM se abram, e fluam de uma maneira que possam prosperar.
Ajudamos sempre que podemos, pois vemos os irmãos na terra como guerreiros, são espíritos que aceitaram reencarnar em um momento de transição, aceitaram voltar e se submeter a novos corpos, enfrentar provas, resgatar seus erros do passado, buscar a melhoria e evolução, vemos essa atitude como algo digno de admiração, pois muitos irmãos se encontram na erraticidade a longo tempo por que não tem essa coragem que hoje vocês encarnados tiveram!
Então, o que digo é que se tiveram tamanha coragem e bravura para retornar ao plano material, então aproveitem a oportunidade, mantenham-se firmes no propósito de suas reencarnações, busquem paciência, pois essa é uma das maiores virtudes a ser conquistadas pelos encarnados na terra, façam o que se propuseram fazer! Vençam e cresçam espiritualmente!
Cedo ou tarde retornarão a verdadeira pátria, e que nesse dia seu retorno seja comemorado, que possam reencontrar seus irmãos como verdadeiros vencedores.
E nós, o povo cigano, sempre estará disposto a ajudar e amparar na caminhada de todos que se mostrarem dispostos a andar na luz, assim como todos os irmãos da espiritualidade, nós também aguardamos o retorno vitorioso daqueles que hoje caminham bravamente na terra!
Salve! Optcha!
Cigano Duarte.

Conselho- PRETO VELHO ENSINOU

Conselhos para os encarnados!

Em certa ocasião tive a oportunidade de conversar com Pai José de Aruanda, quando me aproximei da entidade já cheguei sorrindo e cheia de ansiedade, nunca tinha conversado com esse Preto Velho, essas situações sempre trazem uma sensação de expectativa, pois é mais um Guia que se dispõem a me ensinar, permite que eu traga seus ensinamentos para página e compartilhe com todos vocês. Então para mim é um momento de imensa gratidão, satisfação e alegria.

Logo que me sentei ele perguntou:
— O que a fía precisa?
— Quero saber se o senhor pode me ensinar algo! — De preferência um ensinamento que esteja dentro das minhas capacidades de compreensão para que eu consiga escrever e divulgar.
— Faz tempo que vejo que a fía sempre se senta e conversa com aquele véio alí! (o Véio que ele se referia é Severino de Aruanda, o Preto Velho que já deixou algumas mensagens que estão aqui na página)
— É mesmo, mas hoje ele falou para eu vir conversar com o senhor e receber novos ensinamentos! — O senhor pode me passar uma mensagem?
— Uma mensagem para os encarnados?
— Sim, algo que ajude as pessoas!
— Deixe-me pensar o que posso falar para ajudar os filhos na terra! — Fía, tem uma coisa que eu queria que todos ouvissem! — É um conselho, eu digo para que as pessoas tomem mais cuidado com os ambientes que frequentam, que evitem locais com energias pesadas, como por exemplo cemitérios, bares onde se consomem muitas bebidas, drogas, lugares tomados por promiscuidade! Que escolham bons ambientes para se divertir! — Vou explicar por quê:
— A terra passa por uma fase de transição, esse será um ano de muitos resgates, os encarnados já presenciaram algumas catástrofes esse ano, como podem notar elas estavam ligadas a três dos elementos primordiais, terra, água e ar, outras ainda podem acontecer esse ano. — Peço que os filhos na terra prestem atenção nos lugares que escolhem para ir. — Também digo para que façam suas orações e aumentem suas vibrações, quanto mais elevado estiver o padrão de vibração mais consciência adquirem e assim saberão fazer escolhas melhores. A fía tá entendendo?
— Sim, entendo!
— Ninguém tá falando que não podem sair e se divertir, mas que devem escolher bem os lugares para onde vão! Lugares com boas energias! É isso que eu quero que entendam nesse momento, que precisam se encher de luz para estarem protegidos e amparados esse ano.
— Posso voltar outro dia para o senhor me ensinar mais? E quem sabe um dia me contar sua história?
Ele deu uma risada gostosa, acredito que já sabia que minha verdadeira intenção era saber sobre sua história, com carinho me abençoou e respondeu sorrindo:
— Pode voltar sempre que a fía quisé! — Minha história? Isso vamos ver!

Terminada a explicação e agora com permissão para pegar outros ensinamentos retornei para casa com aquele sorriso de criança que ganhou um presente!
Agradeço a Linha das Almas, a Pai José de Aruanda, aos médiuns que permitem a realização dos trabalhos, e a todos que chegaram até essa mensagem.
Abraços

Liberte-se - ZÉ PILINTRA ENSINOU

Liberte-se dos maus hábitos.(Uma mania "nojentinha").


Certa noite, pedi para conversar com seu Zé Pilintra.
Falar com ele é sempre um momento de felicidade, pois sua energia vibrante, leve e contente contagia.
A intenção inicial era receber sua benção e trocar algumas palavras, mas saí de lá com uma lição e muitas interrogações sobre meus hábitos.
Assim que cheguei seu Zé me perguntou:
— Como estas cabritinha? Tudo certo?
— Sim, tudo bem! E o senhor?
Ele respondeu faceiro:
— Eu to bem! Trabalhando e feliz com a oportunidade de ajudar meus irmãos encarnados na terra! — E tu cabritinha, não tem nada de novo para me contar?
— Não, nada de novo!
Ele me olhou interrogativo e falou:
— Soube que você andou levando uns “puxões de orelha” dos guardiões! É verdade?
Sorrindo respondi:
— É verdade, mas não sei por que puxam tanto minhas orelhas! Estou tentando fazer tudo que me aconselham! — Não consigo ver o que estou fazendo de errado! O senhor pode me dizer?
Ele balançou a cabeça negativamente sorrindo:
— Cabritinha, eu sei o que é, mas não posso dizer! Vocês querem tudo de mãos beijadas, não podemos sair falando tudo, se fosse assim aonde estaria o mérito de vocês? Precisam reconhecer em vocês mesmo os hábitos que precisam ser modificados, nós A-J-U-D-A-M-O-S, mas não vamos fazer o trabalho por vocês! Se os guardiões tem te puxado as orelhas é por que tem motivos! É ou não é? Estou errado?
Fiquei calada. Ele continuou:
— Cabritinha, escute, trabalhar com a espiritualidade é assim mesmo, nenhum de nós pede nada em troca, ajudamos e trabalhamos por nossa evolução e amor ao próximo, mas vocês precisam vencer certos hábitos que prejudicam vocês mesmos. — Não podemos falar tudo que gostaríamos, pois poderíamos interferir demais em suas vidas e em seu livre arbítrio que é sagrado. Ta entendendo?
— Sim seu Zé, entendo! Mas não sei que hábito é esse que preciso mudar!
— Cabritinha, vou te dizer só uma coisa! — é uma mania N-O-J-E-N-T-I-N-H-A essa sua!
Arregalei os olhos assustada! Surpresa com a declaração respondi com um sorriso envergonhado:
— Nossa! Nojentinha? É tão feio assim?
Gracejando ele respondeu:
— É feio! Vixi! Feio demais! — Te digo que é uma mania nojentinha mesmo! Nem te conto!
Respondi:
— Meu Deus! — Mas que hábito é esse? Tenho tentado observar minhas atitudes mas não consigo ver!
Batendo as mãos levemente em minhas costas ele completou:
— Se olhe mais Cabritinha! Se enxergue! Você precisa começar a reconhecer suas qualidades e perceber um pouco mais suas manias! — Quer um conselho? — Comece a se olhar de fora! — Já te dei umas dicas, não posso falar mais nada sobre isso! Agora é com você!


Terminada a conversa saí pensativa, voltei para casa pensativa, fui dormir pensativa, no outro dia...acordei pensativa! O que poderia ser aquele hábito tão “nojentinho”?
Era um domingo, eu e meu marido decidimos ir até a feirinha passear um pouco, estacionamos o carro, descemos e logo fomos abordados por um pedinte, meu marido e eu nem sempre chegamos a um consenso sobre quando e quanto dar nesses casos, tínhamos opiniões diferentes.
Então comecei a tentar convencer meu marido sobre meu ponto de vista, comecei com um blá, blá, blá, andando pela feirinha, então notei que ele apenas ouvia, mas o olhar parecia aborrecido, cansado, então me calei.
Naquele olhar encontrei a resposta que eu procurava, em segundos passou em minha mente várias cenas onde eu tentava convencer as pessoas a aceitarem meus pontos de vista, usava inúmeros argumentos, que por vezes causavam mal-estar em quem os ouvia, eram moralistas demais! Eram bons argumentos, mas expressados da maneira errada. Não percebia que estava desrespeitando o direito do outro em pensar o que quisesse, estava desrespeitando o tempo do outro em compreender, quase obrigava as pessoas a pensarem como eu, sem falar que era chata!
Então lembrei do seu Zé....havia achado o hábito “nojentinho”
Fiquei triste em ver como meu hábito havia machucado pessoas que amo, feliz por ter encontrado, e preocupada em muda-lo.Voltei para casa, conversei com meu marido e pedi desculpas por todas as vezes que fiz aquilo, então me senti mais leve.
Alguns dias depois conversando com seu Zé novamente contei feliz que havia achado o nojentinho.
Ele me respondeu sorrindo:
— Esta vendo cabrita! Era ou não era um habito nojentinho?
— É verdade, é mesmo!
— Cabritinha, cada pessoa tem seu tempo para compreender certas coisas, seus pontos de vista não são errados, mas o erro está em querer que as pessoas pensem como você. Cada um tem uma maneira de ver e entender a vida, você não precisa concordar, mas precisa respeitar e permitir que as pessoas pensem como quiserem! Deixe que sejam como são! Se quer mudar alguém então que seja você mesma! Trabalhe em sua mudança e deixe que as pessoas sejam como querem ser!
— Agora me sinto mais aliviada, posso mudar o hábito!
— Verdade Cabritinha, pode mudar e começar a procurar os outros!
— Outros? Ainda tem mais?
Seu Zé sorriu e falou:
— Vixi cabrita! Você nem imagina quantos! Todos tem muitos! Se não tivessem nada para mudar estariam fazendo o que aqui na terra? Encontre um de cada vez e combata todos! Esse é o caminho da evolução!

Depois dessa lição tento ouvir com atenção, dar minha opinião sem tentar mudar a maneira como o outro vê a vida. Devem perguntar se consegui, digo que, por vezes me pego indo pelo mesmo caminho, quando isso acontece mudo o curso. Cada vez que percebo um hábito que precisa ser mudado lembro que encontrei um “nojentinho” então começo a luta para transforma-lo em algo bom. Depois desse encontrei outros, e sei que ainda encontrarei mais durante minha caminhada na terra. O importante é não desistir e marchar para frente, sempre com o foco na luz, pois é lá que encontramos força.
Abraços a todos

https://www.facebook.com/guiandoalmas/

sexta-feira, 22 de março de 2019

Ostentação. ZÉ PILINTRA ENSINOU.

ZÉ PILINTRA ENSINOU.

MENSAGEM PARA OS FILHOS DE UMBANDA.
OSTENTAÇÃO.


É muito comum ouvirmos certas conversas entre filhos de Umbanda, alguns dizem:
— Meu Exu só toma conhaque se for da marca tal! Só fuma charuto cubano, não quer outro, tem que ser só esse!
— A minha Bombo-Gira só fuma aquele cigarro de tal marca, e ainda exige uma taça especial e o champanhe da melhor marca!
— O Zé Pilintra que eu trabalho só gosta do cigarro de tal marca! A cerveja também, tem que ser das boas, alemã e feita de trigo, nada de pilsen!
— O meu Preto Velho só aceita fumo especial! Não é qualquer fumo não!
A assim seguem as conversas, até com os caboclos alguns gostam de ostentar mostrando os melhores produtos, nós ouvimos e as vezes até rimos, pois sabemos que isso não passa de engano dos próprios médiuns.
Muitos médiuns, alguns ainda em desenvolvimento, costumam confundir seus próprios desejos e gostos com os do guia, e dessa maneira passam a achar que suas próprias vontades são as do guia, que é o guia quem deseja, pede ou exige, mas na verdade é o próprio médium que se excede ou carrega certos desejos. Muitos mantém vícios, tem o hábito de passar dos limites com a bebida, então dizem que isso é porque o guia tem a tendência, ou exagerou.
Guias de luz não fazem exigências, não ostentam, o que fazemos é usar certas substâncias para realizarmos trabalhos. Quando estamos ligados aos médiuns por meio de seus chacras, então utilizamos seus pontos energéticos para movimentar, falar, e dessa forma, por meio do seu corpo, sentimos sabores, fragrâncias, essa “ponte” entre os pontos energéticos do médium e do guia é que permitem que passemos nossas informações e também sintamos o que o corpo do médium sente, mas isso não significa que estamos alimentando nossos vícios, nesses momentos, quando trabalhamos com certas substancias o que acontece é que relembramos de pequenos prazeres que desfrutávamos quando encarnados, mas que agora já não necessitamos mais, pois já temos consciência e elevação, sentimos aquele prazer momentâneo e nada mais que isso, não temos a necessidade, o vício.
Seria incoerente um espírito de luz, que trabalha na Umbanda, exigir o melhor, o mais extravagante, o mais caro! Não é a Umbanda, a mesma que prega caridade e humildade? Onde estaria a nossa humildade nesse caso?

Nosso objetivo principal, é A-JU-DAR, nos apresentamos para trabalhar e não para saciar vícios que não temos.
Se usamos o cigarro, o charuto, o fumo é para defumar, se o médium não fuma, então não tragamos, se o médium não pode ingerir álcool, então não usaremos o álcool, pois nos preocupamos com a saúde do médium, ele é um irmão que confiou a nós o seu próprio corpo para que pudéssemos trabalhar, sendo assim, temos o maior respeito e desejamos que esse sempre esteja bem.
Portanto meus irmãos, se o espírito é de luz ele não vai exigir ou ostentar, não vai pedir produtos de marca tal, um Exu jamais exigirá uma capa cara, uma Bombo-Gira nunca pedirá um champanhe importado, um Zé Pilintra se contentará com qualquer cigarrinho ou cervejinha, e se não tiver também não tem problema, trabalharemos felizes do mesmo jeito! Se o médium decidir parar de beber ou fumar, não levar a bebida ou o charuto, para nós não fará diferença, apenas não teremos certos elementos que são como ferramentas nos trabalhos, mas isso não impedirá que o trabalho seja feito, continuaremos cumprindo com nosso compromisso.
Se existem excessos, ou gosto e exigências pelo mais caro, isso parte do médium, cabe a ele avaliar bem seus próprios desejos e condutas.
Salve! Uma grande Axé para todos!
Zé Pilintra.

Mente doente, corpo doente. PRETO VELHO ENSINOU

PRETO VELHO ENSINOU.


COMO SEUS PENSAMENTOS ADOECEM SEUS CORPOS?
Meus filhos, a mente humana comanda tudo, por meio dos pensamentos vocês determinam e influenciam seu estado de ânimo e a saúde de seus corpos.
Uma pessoa que constantemente tem os pensamentos voltados para o pessimismo, negatividade e reclamações acaba refletindo esse estado mental no corpo físico, que a curto ou longo prazo manifesta doenças, o decaimento e desiquilíbrio mental afetam a imunidade e o corpo padece.
O contrário também pode acontecer, uma pessoa quando recebe o diagnostico de uma doença, se envolve em pensamentos de medo, desespero, pensa que vai morrer, se deprime, e com isso já condena o corpo a morte, ela passa a alimentar pensamentos de que está debilitada, com isso sente-se cada vez pior, agravando ainda mais seu estado, pois esses pensamentos se manifestam no corpo acelerando o processo da doença, isso é muito comum em diagnósticos de doenças vistas como graves. Esse tipo de situação se torna um ciclo vicioso, onde o corpo manda sinais de doença para mente, e essa da o retorno para o corpo confirmando que ele está doente e vai morrer, e assim segue sucessivamente até que aquilo que a mente cria se realiza.
O chacra coronário, ou da coroa, é o principal centro energético do corpo, ele está interligado e alimenta todos os outros, é o responsável pela expansão da consciência, esse quando permeado por pensamentos negativos é como se estivesse sendo envenenado, pensemos na seguinte analogia, o chara coronário como a nascente de um rio, uma vez contaminado, suas águas descem poluído todo o curso, assim é, o chacra coronário contaminado por pensamentos negativos, ele afeta os demais chacras, criando bloqueios, desequilíbrios que afetam todo o corpo físico.
Ao contrário do que muitos filhos pensam, as doenças que vocês contraem não acontecem sempre por causa de vírus, bactérias, fatores climáticos, ou porque a doença servirá como prova ou expiação, é muito comum as pessoas adoecerem constantemente por conta de seus pensamentos e mente doentes.
Meus filhos, quero que entendam! Pensamentos negativos é igual mente doente e isso significa corpo doente!
Bons pensamentos significam mente equilibrada e sadia, e isso reflete no corpo que se torna forte e saudável.
Vou deixar uma dica pros meus filhos, existe um excelente remédio para as mentes e corpos doentes.
Toda vez que se sentirem cansados, doentes, decaídos e abatidos, rezem com fervor e fé o Salmo 91, ele fará mudanças em seus corpos, levantará suas energias, se sentirão melhor, mas façam com fé, pois é essa que opera milagres.

Paz na terra para os homens de bem.
Severino de Aruanda

terça-feira, 12 de março de 2019

O verdadeiro sofrimento - PRETO VELHO ENSINOU

O VERDADEIRO SOFRIMENTO.



Sejam Centros Espiritas, casas de tratamentos espirituais, umbanda, a consulencia é sempre um lugar onde se reúnem pessoas com diversas dificuldades, muitas carregam profundas tristezas, doenças, problemas familiares, financeiros, independente do problema, cada uma tem seu sofrimento.

Em uma noite em que a casa estava cheia, no final dos trabalhos consegui me sentar alguns minutos com o Preto Velho.
Logo que me sentei ele me falou:
— Tem muita gente que sofre né fia? — E ocê? Ocê também sofre não é mesmo?
— Sim, as vezes sofro.
— E sofre por quê? A fía não tem motivo pra sofre!
— Tenho as minhas dificuldades e então sofro.
— Fía, vou te dizê que vocês na terra não sabem o que é sofrimento, nóis não tâmo dizendo que vocês não sofrem, o que quero explicar é que não conhecem o verdadeiro sofrimento! E sabe por quê?
— É porquê sofremos por coisas pequenas?
— Sim fía, muitas vezes sofrem por coisas pequenas. Mas tem algo a mais, quando reencarnaram esqueceram os tempos que estagiaram nas zonas umbralinas, a benevolência divina permite que esqueçam desses períodos para que possam evoluir sem as lembranças tormentosas, se pudessem lembrar saberiam o que é verdadeiro sofrimento! Entendeu?
— Entendi.
— Agora quero que só escute o que esse véio vai te falar, daqui a pouco você tem que ir pra sua casa e eu volta pra Aruanda, então temos pouco tempo, a fía só escuta tá bem? — Se tive pergunta da próxima veiz eu respondo.

Atendendo ao pedido dele apenas ouvi a explicação sem perguntas, pois o tempo que restou naquele dia era pouco, apenas alguns minutos.

— Fía, O sofrimento verdadeiro é aqueles que vemos nas regiões do baixo umbral, na crosta ainda pode-se ver o sol, o céu azul, ou contemplar um dia chuvoso e mesmo assim ver a claridade do sol que se esconde mas não deixa de aquecer a terra. — Entre os encarnados ainda existe solidariedade, compaixão e amor, ainda existe auxílio médico, podem saciar a fome, sede, deitar-se para descansar e dormir em paz, quando se sentem perseguidos ou lesados podem procurar a justiça, buscar meios de se defender. Vocês podem ver seus amigos e familiares, fazer e receber um carinho, sentir o abraço, o beijo de quem ama. As dificuldades e sofrimentos dos encarnados são situações muito diferente daqueles que já estão desencarnados.
— Os irmãos que agora estão nas regiões do baixo umbral não veem nada além da escuridão, envolvidos pelas trevas sentem dores terríveis, fome, sede, cansaço e medo, passam longos períodos, sem saber quanto, mergulhados em tormentos mentais, sendo perseguidos, humilhados, agredidos, por vezes capturados e trancafiados em masmorras, calabouços, acorrentados e torturados. Outros permanecem em regiões de sofrimento onde revivem incessantemente cenas tortuosas que se repetem em suas mentes sem parar, um tormento mental que os encarnados não podem imaginar.
— Todos os tipos de violência que acontecem na crosta, acontecem também nas regiões do umbral, no entanto, de uma maneira muito mais bárbara e cruel, pois se na terra o corpo físico morre, nesses planos a agressão pode se repetir infinitamente, pois já não existe um corpo para morrer, o irmão que sofre a agressão pode perder a consciência, mas logo acorda e volta a sofrer os tormentos.
— Seres malignos, que detém conhecimentos sabem como se transfigurar em criaturas horrendas, criar armas de tortura, manipular mentalmente, causar profundo pavor, e sentem prazer em praticar atrocidades contra os mais fracos, causam terríveis tormentos naqueles que já se encontram atormentados.

— Sabe fía aquelas criaturas assustadoras que vocês veem nos filmes? Essas são apenas pálidas cópias daquelas que se encontram nessas regiões!
— Fía, muitos irmãos permanecem nessas condições de agonia e sofrimento até que sejam resgatados, mas para que isso seja possível precisam alcançar o mínimo possível de vibração, lembrar de Cristo, e como fazer isso quando estão completamente atormentados, apavorados, esgotados, revivendo e revivendo terríveis sofrimentos, cercados pelo medo e pavor? É essa dificuldade que mantem muitos irmãos por vários anos nessas regiões.

— A fía entende? — Vocês na terra podem ter perdido tudo, mas se acreditam em Deus e Cristo ainda tem Fé e esperança! Os irmãos que estão nessas regiões nem isso mais tem! — Muitas vezes vamos até esses lugares tentar ajuda-los a relembrar de Cristo, assim aumentam suas vibrações e podem ser levados, mas muitos estão a tanto tempo nesse estado e tão desequilibrados que nem nos ouvem. —Vocês, na condição de encarnados ainda podem tomar consciência e mudar o rumo de suas existências, esses irmãos já não tem essa possibilidade, quando tomarem consciência poderão ser resgatados, mas já não tem a oportunidade de mudar a existência que se foi.
— Quero que a fía reflita sobre isso, quero que entendam que enquanto estiverem encarnados podem mudar o rumo de suas existências. — Que olhem para seus problemas e sofrimentos como algo que pode ser superado com fé, paciência e esperança, e para supera-los vocês tem auxílio e boas condições. Muito diferente desses sofredores que falei. — Fía, esses até a fé perderam, muitos nem sequer lembram quem é Cristo!

Terminada a explanação o Preto Velho me abençoou e seguiu para sua Aruanda, e nós...Bem, nós voltamos para nossas casas com uma visão diferente, pois apesar das dificuldades, tristezas e sofrimentos ainda temos esperança de que amanhã pode ser melhor, ainda temos fé, e ainda temos em nosso pensamento os ensinamentos de Cristo que nos guiam e dão forças para caminhada que ainda continua.
Ensinamentos: Severino de Aruanda
PAZ E BEM A TODOS.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Orem com o coração. UM MENTOR ENSINOU


Ore com o coração e sempre será ouvido.


Toda oração feita com o coração eleva suas vibrações, quanto mais elevada, maior é seu alcance, se querem ser ouvidos por seus mentores ou espíritos em hierarquia superior, precisam elevar suas vibrações para que suas orações cheguem até planos elevados onde esses se encontram. Isso é possível? Digo-vos que sim, com toda certeza, basta que tenham fé.
Vamos fazer uma analogia para que essa questão seja bem compreendida.
Vejam-se como pescadores, o tamanho do peixe depende das profundezas da água, para alcançarem águas profundas e pescarem um peixe grande, necessitam de uma boa vara de pescar e uma linha extensa. O tamanho do peixe dependerá da distância que sua vara e linha alcancem.

É assim com vossas orações, podemos comparar planos elevados com as águas profundas, a vara e linha com sua fé e vibrações, os peixes, os espíritos da luz. Quanto mais longe sua linha chegar, alcançam planos mais elevados.


Muitas vezes as situações e dificuldades comuns na vida dos encarnados dificultam a elevação do padrão de vibração, ou seja, nem sempre sua linha alcança águas profundas, essa fica próxima as margem, mas ainda sim vocês conseguem pescar. Nesses momentos, suas orações alcançam espíritos que situam-se em faixas vibratórias mais próximas a crosta, irmão da luz que ainda não alcançaram a elevação de um  mentor, mas que trazem iluminação, tem conhecimento e sabedoria para ajuda-los, irmãos que assumiram o compromisso de guia-los em sua caminhada, estão sempre dispostos a ouvi-los e ampara-los, esses, conhecendo suas dificuldades atuam como mensageiros, levam suas orações, apelos e pedidos até esferas superiores, ou muitas vezes dão o suporte necessário para que vocês consigam superar a dificuldade momentânea.

É importante que saibam, toda oração feita com o coração é ouvida por um irmão da luz, vocês nunca estão desamparados quando buscam socorro por meio da fé.

Fiquem na Paz de Cristo.

Ismael.